Artigos

 
Tecnologia – Uma arma a favor ou contra o indivíduo
  

Sabemos que o mundo é ditado pela necessidade que nós, homens, temos de fazer de nossas vidas algo rápido e funcional. Com todos os aparatos que temos nas mãos é impossível ficarmos inertes com relação às invenções cada vez mais dominadoras e indispensáveis nessa aldeia regida pela inovação. A urgência pela tecnologia irrestrita e dominante é algo que veremos crescer e prosperar, pois a acessibilidade, mesmo que haja ressalvas, será um caminho sem volta em todo esse processo.

As relações afetivas serão, em boa parte, relegadas a um segundo plano, mesmo para aqueles que batalham para conseguir driblar as artimanhas da tecnologia. Os afoitos por uma vida mais presencial e até mesmo mais rudimentar, terão que se adaptar a uma nova realidade para não correr o risco de ser engolidos por essa avalanche chamada mudança. E ao criar novos seguidores, pois a mudança quase sempre acontece em casos como esse, o mundo ganhará uma nova ordenação e os significados ficarão cada vez mais fragmentados, trazendo novos consumidores e “destruindo” crenças até então imutáveis.

A problemática de viver ou não amparado pela tecnologia é algo predominante no nosso atual momento. Os gadgets, aceleradores em potencial na vida de quaisquer seres participantes, são em suma algo intrínseco em todo esse processo, fato este é a importância que eles têm nas mudanças ocorridas ao logo de nossa jornada. A sobrevivência fora desse contexto não é mais possível, mesmo o individuo se esquivando e relegando a supremacia deste. Caso vivamos fora dessa realidade, o mundo a nossa volta nos “chamará” para certa participação em toda a reordenação causada pela necessidade da evolução tecnológica. E mesmo o participante que não deseja ser inserido ou até mesmo se acha não participante, não poderá mais ter essa certeza, pois direta ou indiretamente ele é parte integrante de todas essas transformações.

As experiências do indivíduo, fazendo ou não uso de aparatos tecnológicos, serão sempre algo levado em consideração, pois o mais importante de tudo isso é o alcance de algo considerado fundamental para o ser humano. A rapidez, a facilidade, entre outras coisas fazem com que o mundo seja ditado por milhares de facilitadores. Mas a presença e o carinho (pessoal) não deixam de ser essenciais para todo um processo de evolução consistente que cada um procura em um determinado momento da existência. Em resumo a tecnologia não substituirá o afeto, mas as transformações ocorrerão em todas as áreas da vida, mesmo na vida de um eremita. As constantes mudanças serão uma constante na vida recorrente de cada um de nós que habitamos esse momento da história, ou seja, fazemos parte desse período e é inegável que as mudanças e rupturas vão surgir,mas tem que se pensar também no qual esplendido ver esse processo e ser testemunho de fato de toda essa evolução. Inseridos, marginalizados, integrantes, tímidos, somos todos um só nessa nave chamada tecnologia.

Por: Marcelo Rodrigues

Usain Bolt
 
Um artigo ideal sobre Usain Bolt deveria durar no máximo 10 segundos para ser lido. Mas quem vos escreve não é o articulista ideal, e sim um jovem aspirante a jornalista que, a exemplo da humanidade, acredito eu, fica estarrecido toda vez que vê esse jamaicano de 23 anos em uma pista de atletismo. Custa crer que Usain bolt é um ser de carne e osso como nós. Não se admire se um dia Bolt, ao cruzar a linha de chegada, na frente de todos, claro, abrir as asas e sair voando de volta para o seu planeta.

Unsain Bolt é veloz até no nome, pois, para quem não sabe, Bolt significa raio em Inglês. Nome melhor não poderia haver para esse mito do atletismo. É como se Pelé fosse batizado como Edson Arantes “Gol de Placa”. O sujeito já nasceu predestinado a ser veloz, melhor, o mais veloz entre todos os seres humanos ( se é que podemos enquadrá-lo nessa categoria). Sua diferença para os outros é absurda, e não reside tão somente na explosão muscular superior, nas passadas largas, na postura altiva. Não é uma questão física e técnica somente. A diferença é a alegria que esse jamaicano mostra ao correr, a desenvoltura com que supera a si mesmo. Afirmo, sem medo de errar, que Bolt surpreenderá ainda mais o mundo. Seu limite, se é que existe essa palavra no vocabulário do jamaicano, não foi alcançado. Se ele corresse tudo o que pode de uma vez só, não se teria mais dúvidas: Ele não é desse planeta!

Tenho pra mim que ele vem preparando a humanidade para o seu potencial inesgotável, paulatinamente, para não assustar, mais do que já assusta. Nas olimpíadas da china, ele já fez algo inimaginável ao correr os 100 Metros em 9.69 segundos. Antes mesmo de cruzar a linha, Bolt, enquanto seus pobres adversários esticavam os pescoços, batia no peito e comemorava. No mundial de atletismo, realizado em Berlim esse ano, Bolt bateu sua marca ao correr 100 metros em inimagináveis 9.58 segundos. A comemoração ficou só para depois da linha de chegada dessa vez.

A velocidade é de um raio.

A luminosidade vem no sorriso.

E, 10 segundos depois da largada, o Mundo inteiro troveja em palmas!

Por: Caio Xavier

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: